domingo, 12 de fevereiro de 2017

Colégio Estadual Rotary


2. BREVE HISTÓRICO DO COLÉGIO


O Colégio Estadual Rotary nasceu de um projeto social do Club Rotary da Bahia, sendo inaugurado no dia 29 de junho de 1951 em uma solenidade que contou com a participação dos rotarianos, familiares e autoridades do governo do Estado, além do diretor da escola, alunos e comunidade local. A instituição foi criada com a finalidade de atender as crianças carentes das séries iniciais do bairro de Itapuã, uma pequena vila de pescadores até então.

Inicialmente, era uma pequena escola com 4 salas de aula, situada na ladeira do Abaeté. Em 1961, o Rotary Club percebendo a necessidade de expansão, ampliou a estrutura física, criando mais duas salas de aula e um consultório médico-odontológico com o apoio da Casa da Amizade, um movimento social das senhoras dos rotarianos, visando a ampliação das vagas e melhoria da saúde da comunidade escolar. Em 1966 a escola ganhou mais 2 salas e em 1982 foram inauguradas mais 8 salas.

Em 1973 foi firmado entre o Rotary Club da Bahia e a Secretaria de Educação do Estado um convênio, no qual o Estado ficou como mantenedor da instituição.

Itapuã foi crescendo e aumentou a necessidade de ampliação, não apenas do espaço físico, mas também de uma educação que atendesse melhor a essa comunidade, por isso em 1986 foi implantado o ensino de 2º Grau e em 1996, o curso profissionalizante de Secretariado. Com essa ampliação o Colégio passou a ter 26 salas de aula, auditório, posto médico-odontológico, biblioteca, entre outras dependências.

Com uma demanda cada vez maior, os rotarianos em parceria com o governo do Estado decidiram construir uma escola mais estruturada para atender ao ensino médio. Em 2000 começou a construção do novo prédio, que foi inaugurado no dia 04 de Outubro de 2001, sendo denominado Colégio Estadual Rotary, enquanto o antigo prédio passou a atender apenas o ensino fundamental II com o nome de Escola Rotary.

O Colégio Rotary é um prédio moderno com 3 andares e hoje conta com 14 Salas de Aula, 4 Salas menores com finalidades diversas, 1 Sala de Dança, 1 Laboratório de Ciências Físicas e Biológicas, 1 Laboratório de Informática, 2 Laboratórios de Língua Estrangeira, 1 sala de multimídias, Sala de Professores, Coordenação, Sala de Direção e Vice-direção, 1 Biblioteca, Gabinete Médico-odontológico, Secretaria, Arquivo inativo, Mecanografia, Grêmio estudantil, além de um amplo espaço da Cantina, Refeitório e uma Quadra compartilhada pelo Colégio e pela Escola.

A história do Colégio Rotary não se resume a estrutura física, pois a instituição conta com um quadro composto por dirigentes atuantes democráticos, coordenadores e professores graduados, pós-graduados e com mestrado, funcionários, quase 2000 alunos nos três turnos cursando o Ensino Médio Regular, o EJA – Educação de Jovens e Adultos e o Tempo de Aprender.

O Colégio Rotary vem se aperfeiçoando cada vez mais, tanto no âmbito administrativo quanto no pedagógico, desenvolvendo inúmeros Projetos Institucionais da rede estadual e Projetos Internos, criados pelos professores e alunos, que englobam diversas áreas e disciplinas, como: “Instalações” Temáticas, que englobam Poesias, Produção de Máscaras Africanas, Mapas Históricos, Recital de Poesias; o FEDESCULT ( Festival Desportivo e Cultural), a Expo-saúde, FACE, TAL, Mostras de Talentos, Educação Fiscal, aperfeiçoamento e aplicação do projeto da AMATRA, Mais Educação, Campeonato de Xadrez, Fórum sobre Consciência Negra, Ciclo de Palestras sobre Sexualidade, criação e edição de livros com Sonetos construídos pelos alunos, Grafitismos, Exposição do Museu de História Natural Wilson Estevanovic, Oficina de Batik Africano, Representações Teatrais, Criação de Blogs, entre tantos outros.

O Colégio Rotary já teve curso Senac/Sebrae de Gastronomia, entre outras parcerias com o Senai/ Cimatec, incluindo o Curso Theoprax.

O Colégio Rotary possui uma parceria com a Casa da Música, levando os alunos para participarem de Saraus, Bate-papo Musicado, Exposições, etc.

Além desses projetos Institucionais e Internos, o Rotary Club de Salvador tem desenvolvido projetos que envolvem os alunos e a comunidade do entorno, como campanhas contra o Câncer de Mama e de Próstata. Promove também o intercâmbio entre alunos de outros países.

Recentemente o Rotary Club da Bahia criou o Interact, que é um grupo de adolescentes estudantes do Ensino Médio, com o objetivo de desenvolver projetos sociais como o de sustentabilidade, mas também com a finalidade de realizar trabalho voluntário na comunidade.

Levando em conta os sessenta anos de História, estamos cada vez mais buscando desenvolver o Lema: Colégio Rotary Referência em Educação.




terça-feira, 10 de julho de 2012

Cem Anos de Jorge Amado

Em 2012 comemoramos cem anos de Jorge Amado. Para homenageá-lo o carnaval da Bahia, assim como escolas de samba do Rio de Janeiro escolheram a sua vida e obra  como tema.
Em São Paulo, a exposição no museu da Língua Portuguesa está homenageando o escritor baiano.
Você já leu alguma obra deste autor? O que achou? Faça comentários.
Um abraço,
Pró Ademilde

Vídeo Luiz Gonzaga


Bom Dia! Assistam ao vídeo indicado, pesquisem sobre a seca no Nordeste em 2012 e façam comentários associando o vídeo e a pesquisa realizada em jornais, sites, revistas etc. Observação: Cite a fonte pesquisada ao fazer comentários.


sábado, 30 de junho de 2012

Atividade com Músicas de Luiz Gonzaga

Sertão Sofredor Luíz Gonzaga Composição: (Nelson Barbalho e Joaquim Augusto) - Falando: Ah, meu sertão véio sofredô! Terrazinha pesada da gota! Terra mole, vote... Quando chove lá, chove prá derreter tudo. A terra vira lama, a cheia acaba com os pobres, açudão pro mundo...Aquilo num é nem chuva, é dilúvio! E quando não chove é mais pior meu chefe! É o verão brabo! Torrando tudo, lascando, acabando com o que era verde! Home... Pulo verão no meu sertão, de verde só fica mermo pano de bilhar, óculo reiban e pena de papagaio! É um desadouro meu chefe! Ah, Sertão Veio sofredor! Inté Paulo Afonso, que era a redenção do Nordeste, virou coisa de luxo. Só está servindo móde iluminar as cidade grande. Cadê as fábrica? Cadê as industria? Cadê as coisa boa anunciada pro Nordeste? E se vier outra seca lascada? Ah! Ah! È uma praga meu chefe... _______________________________________________________________________________________ O Andarilho Luíz Gonzaga Composição: (Dalton Vegeler e Orlando Silveira) Caí do céu por descuido Se tenho pai, num sei não Venho de longe,m seu moço Lugar chamado sertão Vivo sozinho no mundo Zombei da sede, zombei Cortei com minha peixeira Todo mal que encontrei Fui caminhando, enfrentando As terras que o sol secou Até chegar a cidade Dos homens que Deus olhou Que o Santo Padre perdoe A triste comparação Melhor viver no cangaço Que a tal civilização Brinquei com o mal, brinquei Sorrí quando matei Eu vím pra ser melhor Cheguei aqui, chorei } bis _______________________________________________________________________________________ Queixas do Norte Luíz Gonzaga Composição: (José Marcolino e Pantaleão) Ai doutor Venha ver o meu Nordeste Tão perseguido da seca Atacado pela peste É o que mais atormenta Desde o sertão ao agreste O caboclo nordestino Faz a sua devoção } bis Pra se livrar do inseto Roga a São Sebastião Padroeiro da lavoura Defensor da plantação Venha ver minha choupana É de cortar coração Este caboclo sofrendo Por falta de proteção E o que vem De lá pra cá seu dotô Na chega não Ai,ai, doutor Ai,ai, doutor Venha ver o meu sertão _______________________________________________________________________________________ http://www.ouvirmusica.com.br/luiz-gonzaga/1565380/#mais-acessadas/1565389 ________________________________________________________ Atividade: Análise uma das músicas de Luiz Gonzaga, dizendo o que mais chamou a sua atenção, se tem alguma relação com assuntos que já estudados em História ou outros comentários. Um Abraço, Professora Ademilde

Cem Anos de Luiz Gonzaga

A cidade de Irecê, a 478km da capital baiana, prepara-se para três dias de arrasta-pé. Os festejos juninos deste ano homenageiam um dos maiores símbolos da cultura nordestino: Luiz Gonzaga. O músico comemoraria, em 2012, cem anos se estivesse vivo. Por isso, sua carreira é especialmente lembrada neste São João. A partir desta quinta-feira (21) até o domingo (24), passarão pelo palco na praça pública do município artistas como Cangaia de Jegue, Waldonys do Acordeon, Zezo e Renato Fechine. Artistas locais também fazem parte da programação.http://www.ibahia.com/detalhe/noticia/irece-entra-no-clima-das-comemoracoes-pelo-centenario-de-luiz-gonzaga/ Várias cidades do Nordeste homenagearam Luiz Gonzaga nas festas juninas. Se você participou dos festejos em homenagem ao Rei do Baião, poste comentários sobre esta experiência, o que achou da ornamentação, bandas, etc. Um abraço, Ademilde

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Pinturas






ENTREVISTADO UM:

Nome: Walter Souza (MANTRA)
Idade: 26 Anos
Trabalha?: Não, ensina.

Desde quanto você pinta ou faz esculturas?
14 Anos.

Onde você costuma expor os seus trabalhos?
Em muros e quadros

Seus trabalhos são reconhecidos?
Prefiro a crítica. Deixa a critério do público.

O que você procura pintar?
Pinturas realistas e surrealistas

Qual o seu sentimento para com a pintura?
Dedicação

O que você espera que alguém pense e reflita ao ver suas obras?
Espero que as pessoas reflitam o nosso cotidiano. A situação atual.

Você recebe algum incentivo por parte do governo e/ou ONGs?
Não

Qual a relação do seu trabalho com Itapuã?
Morador de Itapuã. No colégio, no largo de Cira.

Onde aprendeu a pintar?
Bom, força de vontade. Aprimoramento com o tempo.

Em média quantas pinturas você já fez?
Em média 500.

Conversnado com a Comunidade



ITAPUÃ
É bom
Passar uma tarde em Itapuã
Ao sol que arde em Itapuã
Ouvindo o mar de Itapuã
Falar de amor em Itapuã
(Vinicius de Moraes)
ITAPUÃ
Minha mulher não sabe , mas
…às vezes,vou sòzinho a Itapuã
Às vezes de dia,
quando o sol faísca
sobre a espuma
Aqueles cardumes cintilantes,
falsos peixinhos prateados,
feitos de luz
Outras vezes, de noite.
Digo que vou ao plantão
E lá vou eu prá Itapuã
A Lua verte sobre as águas,
as comportas do seu clarão – e,
mansa, passeia à tona,
seu manto dourado e morno,
tecido de serenidade e paz
A brisa vôa,
diáfana gaivota,
vem beijar-me sem decoro
E as pedras bramem ,
entre as ondas,
como búzios
e conchas ressonantes
Um canto provocante de sereias.
Ouço a magia das fadas,
vejo o vento sussurrar
Vem,poeta,
vem comigo,sentir
o enlevo do mar
A sereia de pedra,
da praia de Itapuã
A todo mundo
graficamente saúda:
bem-vindo,
wellcome,
bienvenuto,
soyez
bienvenu
Mas a mim,
faceiramente me disse:
eu não sou de pedra,
isso é pura fantasia
E,garanto,me cantou!
Desde então eu volto lá –
sinto um gozo de adultério,
ouço a magia das fadas,
vejo o vento sussurrar
Vem poeta,
vem comigo,
ter as sereias do mar.
Desde então eu volto lá.
Minha mulher não sabe…
Mas,às vezes,
vou sòzinho a Itapuã.

ENTREVISTAS
Nome: Naline Fonseca
Idade: 22 anos de idade
Quanto tempo mora em Itapuã: 22 anos
Estado Civil: Solteira
Filhos: Não tem

1. O que mais gosta em Itapuã?
R= Com certeza, a bela localização e por ser bem pertinho de tudo.
2. Quais histórias você sabe sobre o bairro?
R= Eu sei de uma história bem antiga onde os índios diziam que aqui tinha uma pedra que roncava e com isso eles passaram a chamar o local de Itapuã, que significa "pedra que ronca", sei apenas essa.
3. Se pudesse mudar alguma coisa, o que mudaria em seu bairro?
R= Com certeza tentaria acabar com a violência, o bairro se tornou muito violento e ainda mudaria o policiamento pra deixar as pessoas mais seguras em seus lares.
4. Na sua opnião o que mudou em Itapuã da sua chegada até hoje?
R=Como já disse o aumento da violência tem crescido muito, isso mudou muito com o passar do tempo. E ainda tem a questão ambiental a lagoa do Abaéte está secando pouco a pouco.

Nome: Josenildo Nunes da Silva
Idade: 47 anos de idade
Estado Civil: Casado
Quanto tempo mora em Itapuã: 28 anos
Filhos: 3

1. O que mais gosta em Itapuã?
R= A beleza da região, principalmente as belas praias daqui.
2. Quais histórias você sabe sobre o bairro?
R= Não muitas, mas que na praia existia um cemitério de baleias com ossos expostos na praia que chamava muito a atenção.
3. Se pudesse mudar alguma coisa o que mudaria em seu bairro?
R= Há, a criminalidade que está tomando conta do bairro, é necessario acabar com isso.
4. Na sua opnião o que mudou em Itapuã da sua chegada até hoje?
R= Tudo. Aqui era uma vila de pescadores e hoje é uma grande avenida que dá acesso a tudo que é lugar. Também a lagoa do Abaéte não era considerado um parque, mas apenas uma lagoa que está sendo deixada de lado.
5. Uma historia do bairro que você prensenciou?
R= A morte do ambientalista Antonio, que defendia a proteção do Parque do Abaéte.